Buscar
  • Diego Cortez

Entenda como vigilantes de carro-forte se arriscam no trabalho

Durante uma matéria que percorre as estradas mais temidas para se transportar dinheiro no Brasil e mostra como vigilantes de carros-fortes estão na mira de criminosos armados.

Uma estrutura de aço inviolável que pesa cerca de seis toneladas, os cofres sobre rodas são fabricados muitas vezes sob medida, por questões de segurança. Eles carregam milhões de reais, mas nem sempre protegem os homens que têm a missão de transportar esse dinheiro pelas cidades e rodovias brasileiras.


Em uma reportagem exclusiva, os repórteres Marcus Reis, Mariane Salerno e Leonardo Medeiros conhecem as estradas mais perigosas do país, em pontos onde os carros-fortes e vigilantes ficam expostos ao arsenal de guerra dos bandidos.

Equipe de reportagem percorreu algumas das estradas mais perigosas para o transporte de dinheiro no Brasil Divulgação/Record TV

A equipe rodou mais de 700 km pelas rodovias que ligam Recife ao agreste e sertão. O estado está no topo das estatísticas neste tipo de assalto. Dos 19 casos registrados no Brasil no primeiro semestre deste ano, seis aconteceram em Pernambuco. 80% deles, nas BRs.

No meio da vegetação cheia de galhos secos e espinhosos, Moisés descreve a violência dos bandidos ao encurralar o carro-forte na estrada. Partes do veículo, como uma porta de 500kg de aço, ainda permanecem no meio da mata. "Eles já chegaram atirando de ponto 50. A bala pegou no motor. E o estilhaço acertou minha perna. Quase me arrancou a perna", comenta.


REPORTAGEM COMPLETA:

https://recordtv.r7.com/camera-record/camera-record-mostra-como-vigilantes-de-carro-forte-se-arriscam-no-trabalho-11092020

0 visualização

© 2016 B1 VIGILÂNCIA. Todos os direitos reservados.

CNPJ: 15.195.617/0001-87

 

Rua Cel. Alfredo Duarte, 244

Afogados - Recife -Pernambuco

(81) 3049-4900

DiegoDesigner_logo-assinatura.png
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle